Inclusão digital na produção de banana no Vale do Ribeira

Banana - Foto: CANVA
0

A cidade de Jacupiranga, na região do Vale do Ribeira, tem a inclusão digital como uma aliada para a produção de bananas e a melhoria desse trabalho. E tudo sob coordenação da Embrapa Agricultura Digital, de Campinas (SP). 

Publicidade

Nas últimas semanas, a região começou a receber a instalação de um DAT (Distrito Agrotecnológico), do chamado projeto Semear Digital. E Jacupiranga é uma das cinco cidades do interior do Estado de São Paulo a receber esse programa tecnológico para o setor agropecuário. 

Na prática, o DAT é um local de produção onde se fazem pesquisas e iniciativas de inovação de acordo com a necessidade de cada produtor. Com isso, se trata de um trabalho que pode ser mais personalizado o que, consequentemente, pode render melhores frutos na produção e colheitas. 

Publicidade
Banana - Foto: CANVA
Banana – Foto: CANVA

Controle de doença

Esse DAT instalado no município de 16 mil habitantes vista entre outras coisas, controlar a sigatoka, considerada a principal doença do ramo da bananicultura. E a banana produzida em Jacupiranga é algo de vendas para todo o país e, até mesmo, para o exterior, onde tem muito destaque. 

Então, manter as plantações de bananas na região saudáveis é essencial para o desenvolvimento. Até porque o Vale do Ribeira é considerada uma das regiões mais pobres do estado de São Paulo e busca meios de se desenvolver. 

Continua depois da publicidade
Banner camara

Atualmente, essa cidade do interior paulista conta com 505 estabelecimentos no setor agropecuário. Isso de acordo com os dados divulgados em 2022 pelo censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

No momento, essa produção de banana, que domina a paisagem da cidade, é a mais importante fonte de renda da região. No entanto, também é uma produção cara, principalmente por conta dos gastos com o controle da doença da banana. 

Por isso, a melhora na segurança dos próprios agricultores gera custos e essa prevenção também é custosa. Assim, o trabalho em parceria com a Embrapa pode ajudar a minimizar esses custos, garantindo melhor rendimento e mais margem de lucro para os produtores, o que também pode melhorar a qualidade de vida da cidade. 

Mas, com o aumento do acesso à informação das novas tecnologias, inclusive para os agricultores de subsistência, os números podem melhorar sensivelmente. E isso vai ajudar a economia de todo o Vale do Ribeira, que hoje tem mais de 330 mil habitantes, considerando os 22 municípios paulistas e mais nove cidades do Paraná. 

Publicidade

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.