Fazendas verticais: o que é, e como funciona na prática

Saiba tudo sobre elas!

0

Você conhece as fazendas verticais? Trata-se, em suma, de um mecanismo que possibilita o cultivo de plantas – comestíveis e medicinais – em grandes áreas urbanas. Dessa forma, é um investimento para o futuro das pessoas que vivem em cidades grandes, pois otimiza a produção e o espaço de cultivo.

Hoje, 27 de maio, em Taubaté, nós da Agro e Jardim, da Agrorural.net, vamos te contar um pouco mais sobre como elas funcionam e quais os benefícios que apresentam. Dessa forma, se você está curioso para saber, continue nos acompanhando e não perca nenhuma informação!

Leia mais: Saiba como plantar grama de milho para gatos: eles vão amar

fazendas verticais
Fazendas verticais: o que é, e como funciona na prática – Canva Pro

Entenda o que são fazendas verticais e para quê servem

Em síntese, as fazendas verticais buscam otimizar espaço e gerar menos impacto ambiental, já que seus meios de irrigação são sustentáveis por serem renováveis. Basicamente, chamam-se “verticais” porque é como se fosse uma escada, com diversas plantas dispostas em fileiras. Nesse sentido, pode-se utilizar estruturas como containers ou outras superfícies inclinadas.

A partir disso, os locais são equipados com luzes artificiais, como estufas, com controle ambiental (calor, umidade, temperatura) e uso de fertilizantes. Inclusive, algumas delas até chegam a misturar a luz artificial com a natural, de forma a garantir os nutrientes necessários às plantinhas.

Quais as vantagens e desvantagens de se construir essas estruturas?

Como nem todos os lugares são propensos ao plantio, como os já citados centros urbanos, o idealizador das fazendas verticais, Dickson Despommier, estudou essa forma de fazer com que haja cultivo com excelência em qualquer lugar que se queira cultivar alimentos ou ervas medicinais. Além disso, pode-se integrar a elas sistemas de energia renovável, o que faz com que sejam ambientes ecologicamente corretos, de energia limpa.

Outro ponto positivo é que a água também é “reciclável”, uma vez que elas passam de tubos em tubos através de um sistema semelhante ao de hidroponia, mas com estruturas maiores, parecidas com “arranha-céus”. Ainda, o objetivo é fazer com que, além de um meio sustentável, seja uma forma de garantir que habitantes dos arredores trabalhem ativamente com as fazendas verticais também.

Contudo, segundo alguns engenheiros que se propuseram a estudar essas estruturas, o lado negativo é que o investimento necessário para torná-las reais não compensa o produto final. Isso porque é um método de cultivo pessoal ou até mesmo comunitário. Dessa forma, não funciona para a produção em massa de alimentos ou remédios. Portanto, há de se ponderar os prós e contras antes de iniciar a instalação desses locais.

Leia mais: Aprenda a maneira certa de fazer a poda de pingo de ouro sem gastar nada, o seu jardim ficará…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.